José Wilker

José Wilker
Picto infobox masks.png
Wilker.jpg
José Wilker
Nome completo José Wilker
Data de nascimento 20 de agosto de 1945
Local de nascimento Juazeiro do Norte/Ceará
Ocupação Ator, dramaturgo e diretor
Página oficial



José Wilker (Juazeiro do Norte/CE, 1945 - Rio de Janeiro/RJ, 2014) foi ator, dramaturgo e diretor.


Biografia

José Wilker nasceu em Juazeiro do Norte, no Ceará, em 20 de agosto de 1945. no início dos anos 60, no Recife, PE, iniciou-se no teatro com engajamento político, no Movimento de Cultura Popular (MCP). Depois do golpe militar, em 1964, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde, com Luiz Mendonça, Isabel Ribeiro, Camilla Amado e Carlos Vereza, fundou o Grupo Chegança e atuou em "Morte e Vida Severina", de João Cabral de Melo Neto, entre outras peças.

Nos anos seguinte, passou pelo Teatro Jovem e pelo Grupo Opinião, até chegar, em 1968 do Teatro Ipanema, de Ivan de Albuquerque e Rubens Corrêa, no qual participou das peças "O Assalto", de José Vicente, "O Arquiteto e o Imperador da Assíria", de Fernando Arrabal, pelo qual recebeu o Prêmio Molière de melhor ator, e "Hoje É Dia de Rock", também de José Vicente.

Em 1971, esteve no elenco da montagem brasileira de "A Mãe", com direção de francês Claude Régy, na Companhia de Tereza Raquel. Voltou ao Teatro Ipanema, no ano seguinte, como ator e autor de "A China é Azul". Em seguida participou de "Ensaio Selvagem", outro texto de José Vicente, em 1974. Em 1976, ganhou os prêmios Molière e Governador do Estado de melhor ator por seu desempenho em "Os Filhos de Kennedy", de Robert Patrick, com direção de Sérgio Britto.

Depois de uma pausa de nove anos, em que dedicou-se ao cinema e à televisão, assumiu, no início dos anos 80, a direção da Escola de Teatro Martins Pena. Só voltou aos palcos, em 1985, na montagem de "Assim É...(Se lhe Parece)", de Luigi Pirandello, sob a direção de Paulo Betti, ganhando seu terceiro Prêmio Molière de melhor ator.

Passou então a atuar como diretor de teatro nas montagens de "Sábado, Domingo e Segunda", de Eduardo De Filippo, em 1986; "Perversidade Sexual em Chicago", de David Mamet, em 1989; "A Morte e a Donzela", de Ariel Dorfman, em 1993; e "Querida Mamãe", de Maria Adelaide Amaral, em 1994.

Recentemente, esteve encabeçando o elenco de "A Cabra ou Quem é Sylvia?", de Edward Albee, com direção de Jô Soares.

No dia 5 de abril de 2014, José Wilker morreu em sua casa, no Rio de Janeiro, vítima de um infarto fulminante.

Atuação

  • 1963- Estórias do Mato. A Afilhada de Nossa Senhora da Conceição, de Luiz Marinho, direção de Luiz Mendonça
  • 1965- Chão dos Penitentes, de Francisco Pereira da Silva, direção de Kléber Santos
  • 1966- O Sr. Puntila e Seu Criado Matti, de Bertold Brecht, direção de Flávio Rangel
  • 1967- A Ópera dos Três Vinténs, de Bertold Brecht e Kurt Weill, direção de José Renato
  • 1968- Trágico Acidente que Destronou Tereza, texto e direção de José Wilker
  • 1970- O Arquiteto e o Imperador da Assíria, de Fernando Arrabal, direção de Ivan de Albuquerque
  • 1971- A Mãe, de Stanislaw Witkiewicz, direção de Claude Régy
  • 1976- Os Filhos de Kennedy, de Robert Patrick, direção de Sérgio Britto
  • 1985- Assim É...(Se Lhe Parece), de Luigi Pirandello, direção de Paulo Betti
  • 1988- Filomena Marturano, de Eduardo De Filippo, direção de Paulo Mamede
  • 2008- A Cabra ou Quem é Sylvia?, de Edward Albee, direção de Jô Soares


Direção

  • 1968- Trágico Acidente que Destronou Tereza, de José Wilker
  • 1986- Sábado, Domingo e Segunda, de Eduardo De Filippo
  • 1989- Perversidade Sexual em Chicago, de David Mamet
  • 1992- A Morte e a Donzela, de Ariel Dorfman
  • 1993- Mephisto, de Klaus Mann


Autoria

  • 1968- Trágico Acidente que Destronou Tereza
  • 1972- A China É Azul
  • 1978- Em Algum Lugar Fora Desse Mundo